Acesse nossa fanpage
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibrasInstale Aqui

#Destaques

Programa Saúde na Escola leva informação a cerca de 300 alunos da EM Dirce Valério

Publicado à

em

Estudantes do 8º ano da Unidade participaram de

bate-papo no Teatro Municipal, no último dia (6)

Em Guarujá, cerca de 300 alunos dos 8º anos da Escola Municipal Dirce Valério Gracia (Jardim Tejereba), participou do Programa Saúde na Escola (PSE), na última quinta-feira (6), no Teatro Procópio Ferreira. Por meio de palestras, a iniciativa leva orientação e informação sobre gravidez na adolescência e doenças sexualmente transmissíveis, aos estudantes da rede municipal de ensino.

O bate-papo é conduzido pela coordenadora de Saúde da Mulher da Prefeitura, a ginecologista. Na oportunidade, ela exibiu vídeos, discutiu estatística e respondeu às principais dúvidas dos jovens. Assuntos como pré-natal, aborto, vacinação e puberdade também foram abordados. O cronograma deste ano nas escolas começou no mês passado e prossegue até o final do ano

“Transar sem camisinha é um tiro no pé. Pode trazer uma série de complicações. Quero que vocês saibam que gravidez na adolescência, por exemplo, é sim, uma gravidez de risco”, destacou a médica.

Mas dentre todos os estudantes da Unidade que lotaram o Teatro, dois deles têm algo em comum. Fernanda Pereira, 15 anos, e Erick Marques, 13 anos são alunos surdos e estavam na palestra acompanhados pela intérprete de libras da escola, que repassava a eles todo o conteúdo exposto.

Na avaliação dela, sem a figura do intérprete, por exemplo, os surdos não teriam a informação em oportunidades como esta. “Para eles é tudo mais difícil. Tenho um amigo surdo, portador do vírus da Aids que, infelizmente, contraiu a doença por falta de informação. Por isso, acho ações como esta muito importante aos jovens, principalmente aos surdos”.

Para a jovem Fernanda, o Programa é muito importante porque ela não sabia sobre a transmissão de várias doenças. “Hoje aprendi muita coisa e é bacana porque a gente não fica só em casa, ou sabendo só o que os amigos dizem”, contou a aluna, por meio da linguagem de sinais.

Já para o estudante Erick, o Programa Saúde na Escola trouxe uma série de informações relevantes na sua idade. “Não tenho essa conversa em casa e acho legal de termos isso na escola, porque eu não sabia de muitas coisas”.

Clique para comentar

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos mais lidos

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support